24 April 2010

Mare Serentatis


moon is high 
up loose
up there
tonight

transfiguro-me 
 já não sou mim ou eu

é-se
coisa
existindo
matéria
Massa
Mare
Serenitatis

Silêncio de Deus
Intimidade

Abba


 
Acende-se um cigarro, escreve-se pausa. 
O Tempo não está. não flui não se encontra não tem não                     , parou .
E escrever é Ir. De memória em coisa, de sabor em cheiro, de Atlântico a Sahara.
E mais longe, oh sim, muito mais longe, ao tempo do antes. Do antes do antes, no instante do Primeiro Fogo, da Primeira Luz.
No Agora..
Primeira Memória; o Frio morno do nascer, rsepirar ar.
Mais Memória; chegar à Gare de S. Lazare, manhã, Lisboa, Luz, Ferro, Vidro, Gente, muita. Santa Apolónia. Bagagens, atropelo, peso, táxis, mais gente, mais sol, ofusco.......o Tejo....muito mais largo que o rio da minha terra....Comecei a Caminhar.
Agora estou aqui.

38° 29′ 43″ N, 8° 58′ 5″ W
The Spot:
The old Spirit of the Earth
the small naked clouds of unknowing
the thing that makes the things be
a mater primeva
Alma Mater
Maryam

O Lugar
O Teu Espírito Irmã Terra na Noite
das  nossas pequenas nuvens de não saber qual coisa em coisa se transforma e nos faz assim Ser.
E o Teu Poder mágico Irmã Lua lançando mares luz sonho e desejo na humana creatura.

Laudato si, mi Signore, per sora Luna e le stelle:
in celu l'ài formate clarite et pretiose et belle 

uf, esta entrada deve ser longa...não me apercebi, fui escrevendo...anyway sorry, eu vou sair já nesta estação.

The Train Stopped





No comments: