23 August 2012

Ὠκεανός



Que disformes paus e panos
em nosso Giro se afrontam?

Dizem ser de Portucale
povos sem rei
sem Destino, 
Derivam
vagueiam
vogam
e
como
Odisseus
preferem-Te.
Dá-lhes rumo
se eles o querem, meu Okeanus.
Tethys,
rumo 
rota
destino
não,
não os vejo sôfregos,
são náufragos do Devir.
Só lhes dou Mar
Mar aberto
Não tenho poder para lhes desenhar Futuro
ou
Eternidade.
Pois que se naveguem
e se encontrem.
Mais não dou,
mulher irmã
dos nossos
mares
...

1 comment:

Giancarlo said...

Un caloroso saluto...ciao